,

Como investir em imóveis para proteger o seu dinheiro da inflação

Como investir em imóveis para proteger o seu dinheiro da inflação

Como investir em imóveis para proteger o seu dinheiro da inflação

No artigo da última semana, comentamos o principal equívoco que se comete ao definir a inflação e como os efeitos desta podem impactar os seus investimentos. Hoje vamos lhe mostrar que investir em imóveis é uma ótima forma de proteger o seu dinheiro da inflação e ainda obter rentabilidades atrativas.

Existem diversos índices que medem os efeitos da inflação nos preços de bens e serviços. Os principais são os tradicionais IPCA – medido pelo IBGE – e o IGP-M – calculado mensalmente pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Mas o setor da construção civil possui um índice de preços próprio, chamado de Índice Nacional de Custo da Construção (INCC). O índice também é calculado pela FGV, e mede mês a mês a alteração de preços de itens que impactam o custo de construções habitacionais em 7 capitais do Brasil – a saber: materiais, mão-de-obra e matéria-prima.

O INCC não necessariamente varia linearmente em relação ao IGP-M e IPCA, pois o processo inflacionário impacta diferentes produtos com intensidades diferentes. Apesar disso, o índice de custos da construção sempre anda próximo aos índices que medem os preços gerais. Isto ocorre porque uma das causas do aumento de preços é compartilhado por todos os segmentos: o aumento da oferta monetária (leia o artigo da última semana).

O gráfico abaixo mostra o comportamento do INCC e do IGP-M entre os meses de janeiro de 2010 e janeiro de 2016.

 

investir-imoveis-proteger-dinheiro-inflaçao-urbeme

 

 

 

Observe que, à excessão dos meses de maio – quando o INCC registra picos devido ao reajuste da mão-de-obra da construção civil – o índice da construção civil e o índice geral de preços variam muito próximos. Isso significa que, ao reajustar preços pelo INCC, se está praticamente atualizando o valor do dinheiro e neutralizando a inflação.

E como o INCC afeta as negociações e os investimentos imobiliários?

O INCC é utilizado como base para o reajuste do valor de imóveis em construção. Para a redefinição de preço das unidades à venda a cada mês, por exemplo, as incorporadoras utilizam o índice como referência.

Além disso, no parcelamento para a compra do imóvel, o INCC incide sobre o valor total que resta a quitar. Assim sendo, o INCC indexa e reajusta automaticamente o valor de todos os imóveis vendidos, com excessão das unidades cujo comprador realizou o pagamento à vista.

Por estas razões, estar com o seu dinheiro alocado em imóveis é uma forma de se proteger da inflação automaticamente, pois é válido dizer que à rentabilidade do investimento sempre será acrescida de um fator de correção monetária baseado no INCC.

Todos os investimentos do URBE.ME com a finalidade de venda do imóvel, por exemplo, indexam as projeções de rentabilidade dos empreendimentos ao INCC. No VN Cardoso de Melo, as rentabilidades estimadas estavam entre INCC+13,1% e INCC+17,2% ao ano; para o Libres estão estimados retornos na faixa entre INCC+13% e INCC+17,3 ao ano; e assim por diante, sempre com um componente de correção pelo índice de custos da construção.

Em razão do exposto, é fácil compreender como investimento imobiliário possui o poder de proteger o seu capital da desvalorização da moeda e ainda lhe oferecer um ganho real consistente. 

Na próxima semana, você terá acesso a uma análise de por que investir em imóveis é um bom negócio. Até lá!

Leia mais sobre:

Por que é uma boa opção investir em imóveis

Uma análise do mercado de investimentos imobiliários (parte 1)