Menu fechado

Como investir no setor elétrico no Brasil

como investir no setor elétrico no brasil

Você sabe como investir no setor elétrico no Brasil? As empresas de energia elétrica foram as mais rentáveis em 2021, com faturamento de R$52,2 bilhões, ante R$44,8 bilhões faturados em 2020.

O setor elétrico no Brasil se mostrou bastante rentável ao longo dos últimos anos, mesmo em cenários como o de 2021, onde situações de racionamento impactaram diretamente o setor.

Por conta dessa estabilidade e da possibilidade de crescimento causada pela própria expansão da demanda atual, existem grandes chances de que o mercado elétrico apresente ótimos resultados ao longo dos próximos anos.

Em virtude disso, queremos te apresentar um guia básico de como investir no setor elétrico no Brasil.

Nele, você poderá aprender:

Quer entender mais sobre cada um destes pontos? Então, continue a sua leitura conosco!

Como funciona o setor elétrico no Brasil?

Começando pelo básico, podemos dizer que o mercado de energia ou setor de energia é composto por empresas que produzem e fornecem energia a partir de diversas fontes, como:

  • Reservas de petróleo e gás natural;
  • Jazidas de carvão mineral;
  • Hidráulica;
  • Nuclear;
  • Biomassa;
  • Solar, eólica e outras fontes limpas e renováveis.

Ou seja, podemos dizer que o setor elétrico é composto pelo conjunto de todas as empresas que estão envolvidas em algumas das etapas relacionadas à geração, transmissão e distribuição de energia elétrica.

Setor elétrico brasileiro

O Brasil se destaca por ser um dos maiores consumidores de energias limpas e renováveis, como:

  • energia hidráulica;
  • eólica;
  • solar.

Porém, é importantíssimo ressaltar que o Brasil possui uma grande dependência da energia hidráulica, embora essa dependência tenha diminuído gradualmente ao longo dos últimos anos.

Isso faz com que nosso sistema elétrico fique muito suscetível a efeitos climáticos adversos, como os recorrentes períodos de seca.

Para que isso possa ficar mais claro, veja abaixo quais são as principais fontes geradoras de eletricidade no Brasil:

FontePercentual de contribuição
Hidrelétrica63,5%
Eólica9,1%
Biomassa8,9%
Gás Natural8,1%
Petróleo e carvão7,4%
Solar1,7%
Nuclear1,2%

Além disso, é importante frisar que o mercado de energia no Brasil é extremamente regulado e conta com a presença de diversas empresas estatais, justamente por ser visto como um segmento extremamente estratégico e crucial para o desenvolvimento econômico do país.

Quais áreas o mercado de energia no Brasil abrange?

como investir no setor elétrico no Brasil

O mercado de energia ou setor elétrico, abrange atualmente às seguintes atividades:

Geração de energia

A geração de energia corresponde ao primeiro passo do processo de produção de energia.

Na prática, essa atividade contempla a geração de energia elétrica a partir de outra fonte energética. Ela geralmente ocorre em usinas:

  • hidrelétricas;
  • térmicas;
  • de biomassa;
  • eólicas;
  • nucleares;
  • solares.
  • entre outras.

Ou seja, é por conta da etapa de geração que todos os setores da sociedade podem fazer uso da energia.

Empresas de geração de energia também pode deter a posse de outros processos dentro da cadeira energética, como transmissão, distribuição e comercialização.

Vale a pena ressaltar que os grandes consumidores de energia como as indústrias também podem comprar energia diretamente das empresas geradoras como estratégia de redução de custos.

Transmissão de energia

Outra atividade do setor elétrico é a transmissão de energia, que ocorre por meio de linhas de cabos de aço suspensos em torres. 

A energia que é produzida nas usinas precisa ser levada para os centros de distribuição e é exatamente isso que o sistema de transmissão faz: ele conecta a energia das usinas aos grandes centros consumidores, como cidades e regiões metropolitanas.

Para se ter ideia, o Brasil tinha, em 2021, mais de 145 mil km de linhas de transmissão. Isso é o equivalente a, aproximadamente, 10 vezes a distância entre Brasil e Rússia.

As empresas responsáveis por essas linhas acertam as concessões por várias décadas a fim de oferecer o serviço.

Essas concessões são feitas por leilões em que a empresa paga para poder explorar e realizar a manutenção das linhas.

Em outras palavras, quanto mais linhas a transmissora tiver, mais ela vai receber, independente da quantidade de energia que passar pelos seus cabos.

Quando a energia chega aos centros urbanos, ela é recebida pelas subestações de rebaixamento, que vão reduzir a tensão com o objetivo de realizar a distribuição da energia para todos os consumidores das cidades próximas. 

Distribuição de energia

Por fim, nós temos as empresas responsáveis pelos serviços de distribuição de energia.

As distribuidoras normalmente compram a energia de comercializadores ou a adquirem por meio de leilões.

Por conta disso, o seu lucro surge pela diferença entre a compra dessa energia a um preço específico e a receita recebiba pela distribuição a um valor superior.

São as empresas de distribuição que recebem a energia nas subestações de rebaixamento e a levam até os consumidores finais. Elas fazem isso por meio de dois tipos de rede: primária e secundária.

  • A rede elétrica primária atende as indústrias e as médias e grandes empresas.
  • Já a rede secundária, de baixa tensão, atende os consumidores residenciais.

Já perto das residências e outros locais, existem transformadores que reduzem ainda mais a voltagem até os 127 ou 220 volts que temos nas tomadas.

Outro ponto que merece atenção é o fato de que as distribuidoras também sofrem regulamentação governamental sobre as tarifas que serão repassadas para os consumidores finais.

Elas são revisadas a cada cinco anos e também sofrem um reajuste anual.

Como investir no setor elétrico no Brasil: Dados sobre o mercado

Veja alguns dados sobre o setor elétrico no Brasil:

  • 85% das unidades de consumo são residências;
  • 35% do consumo de energia é feito por indústrias.
  • Em 2021, foi registrado o recorde histórico na expansão de usinas do mercado livre de energia, com mais de 3 GW instalados.
  • Apenas em janeiro de 2022 a geração de energia elétrica teve um acréscimo suficiente para atender cerca de 1 milhão de habitantes;
  • Em 2021, a expansão da geração de energia elétrica acrescentou ao mercado a capacidade de atender mais 17 milhões de domicílios;
  • Em 2021 foram concluídos 7.822 km de linhas de transmissão. A distância é maior do que a existente entre Portugal e o Rio de Janeiro;
  • A previsão é de que em 2022 sejam acrescentados ao sistema de transmissão mais 8.987 km em linhas de transmissão;
  • Atualmente, mais de um milhão de unidades consumidoras são beneficiadas pela Geração Distribuída, que prioriza as fontes limpas – eólica, solar e biomassa –, renováveis e não poluentes. 
  • Atualmente, 98% da Geração Distribuída no Brasil é solar.
  • O Brasil foi o 4° País que mais cresceu em produção de energia solar no mundo, atrás apenas de Índia, EUA e China.
  • A matriz elétrica brasileira possui hoje 84% de capacidade de geração de energia renovável, enquanto o mundo possui uma média de apenas 27%.
  • Somente entre 2018 e 2019, a geração de energia solar fotovoltaica cresceu mais de 92%. 
  • Em 2019, o setor de energia solar gerou mais de 43 mil postos de trabalho.
  • É esperado um crescimento de 35% da disponibilidade de geração de energia e de 39% do sistema de transição nos próximos anos. 
  • Estima-se que o mercado de energia receberá mais de R$ 450 bilhões em investimentos para atingir suas metas nos próximos anos.

Como investir no setor elétrico no Brasil: Quais são as ações disponíveis?

mercado de energia no Brasil

Não há como investir no setor elétrico no Brasil sem conhecer como ele funciona. Nós já resolvemos essa parte, então podemos avançar para a parte prática dos investimentos.

Atualmente, a forma mais simples de se conseguir investir no setor elétrico no Brasil é por meio do mercado de ações.

Ali você poderá encontrar as melhores empresas do segmento de uma forma centralizada, prática e simples.

Veja quais são as ações disponíveis no mercado:

  • AES Brasil Energia;
  • Afluente T;
  • Alupar;
  • Ampla Energia;
  • Auren Energia;
  • CEEE;
  • CEEE-GT;
  • Celesc;
  • Celpe;
  • CEMIG;
  • Cia Energética de Brasília;
  • Coelce;
  • Copel;
  • Cosern;
  • CPFL Energia;
  • CPFL Renováveis;
  • EDP Energias do Brasil;
  • Elektro;
  • Eletrobras;
  • Eletropar;
  • Emae;
  • Energisa;
  • Energisa MT;
  • Eneva;
  • Engie;
  • Equatorial;
  • Equatorial Energia Pará;
  • Focus Energia;
  • ISA CTEEP;
  • Light;
  • Neoenergia;
  • Omega Geração;
  • Paranapanema Energia;
  • Rede Energia;
  • Renova;
  • Taesa.

Antes de realizar qualquer tipo de investimento, ressaltamos a importância de conhecer a empresa e suas características para que o seu capital possa ser alocado em ativos que façam sentido dentro da sua filosofia de investimentos.

Quais são as vantagens de investir no mercado de energia no Brasil?

A seguir, vamos mostrar quais são as principais vantagens que os investimentos dentro do setor elétrico podem trazer. Confira:

empresas do setor elétrico possuem contratos de longa duração

Em condições normais, as empresas do setor de energia elétrica trabalham com contratos de longa duração. Na maioria dos casos, estamos falando de décadas.

Desse modo, essas empresas possuem a possibilidade de explorar um determinado contrato por períodos de tempo muito longos, permitindo assim o aumento da previsibilidade de receita.

O setor elétrico possui uma grande previsibilidade de receita

Continuando o assunto, precisamos falar um pouco mais sobre a previsibilidade de receita do setor elétrico.

Por um lado, ela acontece em decorrência da duração dos contratos. Todos entendemos isso, não é mesmo?

Mas, além disso, precisamos lembrar que o serviço de energia é essencial para famílias, empresas e para todas as pessoas que vivem em centros abastecidos por energia, que correspondem a esmagadora maioria da população brasileira.

Ou seja, esse não é o tipo de serviço que irá perder força ao longo dos anos. Muito pelo contrário, a demanda por energia deve apenas aumentar.

Para saber como investir no setor elétrico no brasil é preciso entender o monopólio natural existente no segmento

Lembra que comentamos no início do nosso conteúdo que o mercado de energia no Brasil é extremamente regulado? Pois bem, isso acaba criando monopólios naturais dentro do setor.

A entrada de novos concorrentes é praticamente impossível, seja por conta da própria natureza deste mercado ou pelas regulamentações que criam uma barreira de entrada muito grande para novas empresas.

Com esses monopólios naturais, as empresas participantes do mercado de energia no Brasil conseguem crescer cada vez mais.

o mercado elétrico possui ótimos retornos financeiros

Às empresas do setor elétrico possuem ótimas receitas, margens e lucros, sendo assim ótimas pagadoras de dividendos.

Como essas empresas não possuem um crescimento acelerado por conta do seu próprio tamanho e das características do mercado, é natural que valores significativos sejam distribuídos aos acionistas.

o Market Share das empresas do segmento é extremamente relevante

Por fim, uma das maiores vantagens de se investir em empresas do segmento de energia está ligada à própria natureza da matriz energética brasileira que, conforme comentamos, ainda está extremamente concentrada nos recursos hídricos.

Por conta disso, o market share das empresas do segmento é enorme, o que aumenta sua previsibilidade, capacidade de geração de receita, lucratividade e, obviamente, a distribuição de proventos.

Como investir  no setor elétrico no Brasil na prática?

Para investir em ações de empresas de energia elétrica não existe muito mistério. Tudo o que você precisa, no campo prático, é de uma conta em uma corretora de valores.

Contudo, precisamos ser honestos: isso está longe de ser o suficiente para que você possa começar a se posicionar dentro desse mercado.

A verdade é que, antes de qualquer outra coisa, é necessário que você tenha domínio do mercado, entenda como ele funciona e avalie se isso faz sentido dentro da sua filosofia de investimentos e dos seus objetivos financeiros.

Somente depois de garantir que esse passo foi tomado é que você deve se preocupar em ativamente realizar os investimentos.

Agir dessa forma é mais inteligente, seguro e aumenta muito a sua capacidade de enxergar o mercado e balizar suas expectativas de acordo com o que ele pode oferecer.

Conclusão

Agora que você já sabe como investir no mercado de energia no Brasil, sugerimos que não pare por aqui.

Continue estudando, conhecendo e avaliando o mercado como um todo até que se sinta pronto para tomar sua decisão de investir ou não.

Lembre-se de que, embora a diversificação de investimento seja algo inteligente e recomendado, é preciso fazer isso do jeito certo.

Que o mercado de energia no Brasil tem potencial e lucratividade ninguém pode negar. A questão é: ele é aquilo que você está procurando?

O seu trabalho a partir de agora é responder essa pergunta!

Disclaimer: As opiniões, análises e informações contidas nesse artigo não constituem recomendação de investimento, nem tampouco material de oferta para subscrição, compra ou venda de títulos ou valores mobiliários, instrumentos financeiros, cotas em fundos de investimento ou qualquer produto ou serviço de investimentos. Declarações contidas neste artigo relativas às perspectivas dos negócios, projeções de resultados operacionais e financeiros, bem como referências ao potencial de crescimento das companhias citadas, constituem meras previsões. Essas expectativas são altamente dependentes de fatores incertos, como o comportamento do mercado, da situação econômica do Brasil, da indústria e dos mercados internacionais. Portanto, cada declaração aqui escrita está sujeita a mudanças, e não deve ser utilizada como insumo para qualquer estratégia de investimento pessoal ou institucional.

Artigos recentes

Copyright © 2014-2020 URBE. All rights reserved.