,

Por que o Minha Casa Minha Vida é bom para os investidores?

Por que o Minha Casa Minha Vida é bom para os investidores?

Por que o Minha Casa Minha Vida é bom para os investidores?

Se você investe ou já pensou em investir no mercado imobiliário certamente já ouviu falar do Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) do Governo Federal. Lançado em 2009 com o objetivo de reduzir o déficit habitacional no Brasil, o MCMV surgiu como uma oportunidade não apenas para quem deseja ter acesso à casa própria por meio de financiamento, mas também para incorporadoras e investidores do setor imobiliário.

No artigo de hoje você irá conhecer um pouco mais sobre o Programa Minha Casa Minha Vida e entender os benefícios da iniciativa – sobretudo em relação à demanda mínima do MCMV – para investidores e incorporadoras que fazem parte deste esforço em solucionar o problema da falta de habitações de boa qualidade no país. Continue a leitura e saiba mais sobre este tema!

O Programa Minha Casa Minha Vida

Antes de compreender as principais vantagens do MCMV para os investidores e para o setor imobiliário é importante conhecer o que é e como funciona o Programa Minha Casa Minha Vida, que foi lançado no ano de 2009 pelo Governo Federal.

Como já falamos, o objetivo do MCMV era auxiliar famílias de baixa renda a comprar a residência própria por meio de incentivos do governo – reduzindo, consequentemente, o déficit habitacional do Brasil.

Desde o lançamento do programa, mais de 3,5 milhões de unidades foram contratadas – cujas construções e administrações permanecem sob responsabilidade de centenas de construtoras e incorporadoras nacionais e estrangeiras. Para estas empresas do setor de construção civil, algumas regras foram impostas no que tange ao projeto e construção de unidades do MCMV.

Entre as principais especificações para a construção de imóveis Minha Casa Minha Vida estão a necessidade de se manter uma estrutura básica para cada unidade – que deve composta por, no mínimo, dois quartos, sala, cozinha, banheiro e área de serviço – e de atender às normas de qualidade do programa, como oferecer instalações corretas de esgoto, água e energia elétrica.

Para a liberação do financiamento das obras junto à Caixa Econômica Federal, a construtora responsável precisa obter o aval da Gerência de Risco de Crédito da Caixa (Geric), que analisa a saúde financeira da empresa.

O que é e como funciona a demanda mínima do MCMV?

Além  de oferecer oportunidades para famílias de renda mais baixa, o  Programa Minha Casa Minha Vida também concede vantagens ao setor imobiliário – principalmente às incorporadoras e aos investidores. Estes benefícios são obtidos por meio da demanda mínima do MCMV.

A demanda mínima do Programa Minha Casa Minha Vida nada mais é que o número mínimo necessário de interessados em adquirir unidades do projeto para que o financiamento seja liberado para construtoras e incorporadoras iniciarem a construção das unidades. Este trâmite – bastante diferente de outros tipos de empreendimentos – acaba protegendo todos os envolvidos nas etapas de projeto, de comercialização das unidades e de construção do empreendimento em si.

Na prática, a Caixa Econômica Federal desembolsa o financiamento em etapas para novos empreendimentos, de acordo com o processo de construção – e de demanda contratada. Em caso de empreendimentos com obras já em andamento, o financiamento é liberado de acordo com a demanda já contratada por clientes da Caixa, desde que parte da construção do projeto já esteja concluída.

A dinâmica é bastante diferente de qualquer outra relacionada à construção de empreendimentos imobiliários e tem como objetivo justamente oferecer benefícios e melhores condições para que empresas do segmento imobiliário dêem preferência pela construção de projetos do MCMV – acelerando, como conseqüência, o cronograma do Governo Federal no que se refere ao déficit de habitação.

Qual a vantagem da demanda mínima para incorporadoras e investidores?

A principal vantagem de projetos que fazem parte do programa habitacional Minha Casa Minha Vida para incorporadoras e investidores é a incidência de uma maior liquidez na venda das unidades habitacionais em comparação com outros empreendimentos do setor. Isso acontece por conta, principalmente, dos valores mais baixos das unidades comercializadas e das facilidades oferecidas pelo Governo Federal para financiamento da casa própria nestas condições.

A alta demanda por imóveis do projeto do Governo Federal, por outro lado, permite às incorporadoras receber boa parte ou até mesmo a totalidade do valor necessário para conclusão das obras durante o processo de construção, impulsionando o caixa das empresas e garantindo uma maior segurança para os investidores do setor imobiliário.

Devido a este cenário, a rentabilidade dos projetos que fazem parte do MCMV acaba se tornando mais previsível e permite aos investidores e às incorporadoras projetar com maior assertividade os rendimentos oriundos deste investimento – diminuindo assim os riscos envolvidos em relação ao investimento imobiliário.

Por isso, é cada vez maior o interesse de incorporadoras e investidores por empreendimentos que atendam às exigências do Programa Minha Casa Minha Vida. Afinal de contas, trata-se de um produto com ingredientes valiosos: alta demanda – com demanda mínima garantida, valor social, apoio do Governo Federal e uma oportunidade para investimentos mais seguros e com projeções de rentabilidade muito mais sólidas e bem definidas.

E você, já pensou em investir em empreendimentos imobiliários que fazem parte do Programa Minha Casa Minha Vida do Governo Federal? Deixe seu comentário sobre o tema e compartilhe conosco suas opiniões!